RelacionamentosPor que a Paixão Acaba? Saiba como resgatar a paixão!

30 de junho de 2020by Débora Martins0

Já se fez a seguinte pergunta: Por que a paixão acaba? Se você afirmou que sim, saiba que não é a única pessoa a fazer tal questionamento.

Mas, a questão vai muito além do que entendemos sobre o final das relações. E, não se trata somente do amor em si, bem como de ligações de caráter mais romântico.

Pensar sobre o motivo que pode resultar no final da paixão diz respeito também à euforia que comumente sentimos pelo outros ainda nos primeiros meses.

Em outras palavras, nesse comecinho temos uma ativação de cunho fisiológico e até mesmo uma série de alterações hormonais. Tudo isso nos leva a um só caminho – pensar praticamente o tempo todo naquela pessoa.

Mas, e depois? Será que definitivamente a paixão acaba? Será que existe um prazo de validade para que isso realmente aconteça? Ou é possível manter a chama da paixão acesa por toda a vida?

Realmente são muitas perguntas e poucas respostas, não é mesmo? Por que a paixão acaba, afinal? Confira mais informações e entenda mais sobre esse assunto no decorrer desse conteúdo.

Por que a paixão acaba? – será que esse é o único caminho?

Para começar, é importante entender o que de fato é a paixão. De maneira geral, podemos definir esse sentimento um estado emocional.

E, na realidade, a paixão pode acabar sim! Em geral, a paixão pode durar entre um e dois anos. Sua principal característica é um eminente estado de euforia, bem como níveis elevados de motivação além do comum.

Isso tudo sem contar uma vontade quase que incontrolável de estar ao lado da pessoa.

O fato de estarmos apaixonados nos permite lidar com uma enorme quantidade de alterações cerebrais. Uma das mais evidentes é o fato de pensarmos quase que integralmente na pessoa que gostamos.

E, é justamente todo esse pacote que permite que o início de um relacionamento permita que tudo seja mais fácil. Afinal, são necessários pequenos esforços para agradarmos a outra pessoa e nos sentirmos felizes.

Sacrifícios? Eles praticamente não são necessários antes mesmo de fazermos a tal pergunta: Por que a paixão acaba? – e o motivo está diretamente ligado ao nosso estado emocional e a incontrolável vontade de estar com a outra pessoa.

Mas, é totalmente ruim pensar que a paixão pode acabar?

Bom, para começar, é importante entender sobre o “por que a paixão acaba?”. E, na realidade a resposta é bastante simples!

Afinal, manter um estado de euforia tão intenso e constante é algo impraticável em um relacionamento. Para entender isso, basta pensar que somos seres humanos, repletos de defeitos, insatisfações, conflitos internos, dúvidas e outros.

Por isso, à medida que o tempo passa, é natural que a paixão diminua. Mas, calma, isso não quer dizer que você terá que lidar com um vazio. O que acontece é que começa a surgir uma outra ligação emocional – e ela é cada vez maior e mais sólida.

Como resultado, podemos nos pautar pela ciência e pelo conhecimento de muitos especialistas que estudam o assunto!

Isso porque a ciência tem conseguido cada vez mais demonstrar que as pessoas são capazes de construir laços românticos e mantém um casamento feliz e duradouro mesmo quando a paixão acaba.

Inclusive, há casais que podem ser até mesmo mais felizes do que pessoas que estejam solteiras e apaixonadas. Não que isso queira dizer que todas as pessoas devem e precisam casar! Não se trata disso.

Mas, dica evidente que a consistência de um relacionamento está diretamente ligado à mutação do sentimento da paixão em confiança, calma, diversão, companheirismo e outros pontos.

Mas, por que a paixão acaba? Por que é tão difícil manter um casamento duradouro nos dias atuais?

Pode parecer estranho, mas a resposta tende a ser mais fácil e mais direta do que muitos possam imaginar! E, a palavra-chave é esforço!

Sim, de fato é mais difícil dedicar esforços para manter um casamento duradouro do que compreender por que a paixão acaba!

A rotina é um dos maiores embates dentro de um casamento. Estamos sempre lidando com rotinas corridas, cansativas e estressantes. Somos constantemente acometidos por preocupações e dificuldades.

Ou seja, ser capaz de canalizar toda essa sobrecarga emocional e física impacta diretamente na nossa capacidade de focar no que nos permite um prazer imediato.

Como resultado, alimentar a nossa relação contínua com o outro é algo que, definitivamente depende de um maior esforço.

Mas, por outro lado, quando conseguimos conciliar todos esses aspectos da vida, as relações são sustentadas  por uma base extremamente fortalecida – e, com isso, torna-se impraticável imaginar a vida sem o outro.

Quando mais forte é a base do amor e do respeito, maior é a sensação de que temos uma vida mais feliz. É possível até mesmo viver com um sentimento de gratidão muito mais latente.

Porém, do contrário, sem a euforia da paixão, manter um relacionamento duradouro torna-se insustentável. Ou seja, relações são construções diárias de paciência, aprendizado, respeito e muito (muito mesmo) esforço.

É possível virar o jogo?

Entender sobre a pergunta do “por que a paixão acaba” é mais fácil do que conviver com essa realidade.

Os desgastes dentro de um relacionamento não são situações raras. Geralmente, muitas pessoas tem a sensação equivocada que outros casais podem ser mais felizes, ou que se divertem mais ou que são perfeitos.

Terapia de Casal

E, acredite: nada é bem assim! Porém, se há sentimentos das duas partes e a vontade de tentar virar o jogo e recuperar os bons momentos, há caminhos que podem ajudar!

Um bom começo é recorrer ao diálogo! Aliás, esse também é um trunfo que se torna mais maduro e consistente depois que a paixão acaba, sabia? Porque é aqui que a relação passa a tomar um rumo real e verdadeiro (sem a tal euforia que faz com que tudo pareça perfeito e intenso demais).

Além disso, buscar ajuda em uma terapia de casal pode ser um passo importante. Nesse tipo de consulta o casal tem a oportunidade de receber um olhar mais técnico e até mesmo externo sobre sua realidade, anseios, expectativas e afins.

Sem contar que, com ajuda profissional, será possível aprender na prática por que a paixão e lidar com possíveis frustrações!

Avatar

by Débora Martins

Sou Débora Martins - Terapeuta Sexual com Formação em Sexologia Clínica e Practitioner em PNL., meu trabalho é desenvolvido com foco em tratamentos breves que visam transformação de relacionamentos assim como tratamentos de disfunções sexuais, usando diversas técnicas para melhorar a qualidade de vida sexual de homens e mulheres.

Deixei seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Débora Martins

Débora Martins atua como Terapeuta Sexual no tratamento das disfunções sexuais masculinas e femininas. Profissional com formação em Sexologia Clínica, Psicanálise, Master Hipnose Clínica, PNL (Programação Neuro Linguística). Tem à disposição dos pacientes atendimentos online e/ou presencial*.

Cadastre-se!

Contatos
+55 18 98818-0025
+55 43 99181-3711
Endereços
Av. W. Luiz, 1800. Jd. Paulista. P. Prudente - SP
Debora Martins

Débora Martins atua como Terapeuta Sexual no tratamento das disfunções sexuais masculinas e femininas. Profissional com formação em Sexologia Clínica, Psicanálise, Master Hipnose Clínica, PNL (Programação Neuro Linguística). Tem à disposição dos pacientes atendimentos online e/ou presencial*.

Cadastre-se!

Redes Sociais

Siga-me nas redes sociais e fique por dentro da agenda de cursos e palestras, assim como conteúdos exclusivos para a sua vida sexual.

Todos os direitos reservados a  Debora Martins.

Todos os direitos reservados a Debora Martins.